Museu da Cidade de Manaus: viagem pela identidade do povo manauara

10/01/2019 14:50

Por Dário Sampaio/Especial para Viva Manaus

 

O Museu da Cidade de Manaus, localizado no Paço da Liberdade, Centro Histórico, que durante décadas foi usado como sede do governo municipal, se tornou a casa que conta a história do povo manauara. Reunindo beleza arquitetônica, exposições tecnológicas, peças arqueológicas e artigos regionais, o espaço já recebeu mais de 15 mil visitantes, desde sua inauguração no aniversário da cidade, em outubro do ano passado.

“É uma joia valiosa para a cidade e conta a rica história de um povo aguerrido, que este ano completa 350 anos de história ocidental, mas tem mais de 10 mil anos de cultura indígena. Enquanto muitas cidades e estados tiveram dificuldades para manter suas contas em dia, Manaus investiu em cultura, além de avançar em outras áreas importantes, como infraestrutura, saúde e educação”, destacou o prefeito Arthur Virgílio Neto.

Oito salas do Museu da Cidade de Manaus retratam a vida cotidiana, a identidade e a cultura de gerações passadas, por meio de exposições de longa e curta duração, utilizando-se da interatividade para contar a história da cidade de Manaus a partir de textos, sons e imagens, com caráter educativo, lúdico e dinâmico e atraindo a atenção, o olhar e a sensibilidade até dos visitantes mais novos.

“Eu já visitei a parte das ruínas, a sala dos prefeitos, a evolução, a sala dos imigrantes. Estou gostando muito da visita, gostando de tudo”, disse o estudante Luiz Gustavo, de 11 anos.

Já para o universitário Mateus Vinicius, 18, que veio de Boa Vista para conhecer o museu, a experiência de fazer uma viagem no passado, conhecer a história e as raízes locais em meio a tanta tecnologia, une o antigo e o atual. “A prefeitura está realmente de parabéns. Para mim, foi encantador poder fazer uma viagem pelo tempo e a cultura, em um museu muito moderno e que não vejo em muitas cidades do Brasil”, destacou.

Exposições

Salas como a “Afluentes do Tempo”, que projeta imagens a partir de um reflexo na água, que fica represada em uma espécie de bacia em formato de rio, encanta os visitantes. No espaço “Casas-Cabeças”, casas de diferentes habitantes da cidade são apresentadas em fotos em um painel touchscreen. Já no “Banhos de Origens”, é possível vivenciar o depoimento de pessoas de outras nacionalidades que vieram morar em Manaus.

O museu traz, ainda, a sala “Mercado”, com a exposição de iguarias, alimentos e objetos regionais que os feirantes vendiam nas feiras. O espaço “Rios Voadores” mostra a evaporação da água e o ciclo das chuvas na capital em quatro globos, enquanto a sala “Arqueologia” conta com um passeio em realidade virtual pelo passado arqueológico da região. Na “Anéis de Crescimento” há uma projeção em dois pedaços de troncos e, por fim, a “Sala dos Prefeitos” mostra nomes, fotos e períodos de gestão de todos os prefeitos de Manaus.

“O Museu vem para ser o diferencial, pois nós temos uma cultura e uma história muito rica. Trouxe minhas filhas para elas passarem a conhecer e amar a região em que elas vivem e fomos muito bem recebidas e atendidas”, contou a pedagoga Deyseane Milério, de 39 anos.

Origem

O Museu da Cidade de Manaus foi criado pelo prefeito João de Mendonça Furtado, através da Lei n° 1.616, de 17 de junho de 1982, na estrutura da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, com localização no prédio sem número na rua da Instalação, mas nunca funcionou nessa localidade e sequer foi inaugurado.

Mais de 20 anos depois, em 2005, o projeto do Museu da Cidade foi retomado, passando agora a ter como abrigo o Paço da Liberdade, antiga sede da Prefeitura de Manaus. Em 2018, o prefeito Arthur Virgílio Neto entregou o museu à população sem custos para o órgão, uma vez que a obra foi realizada por meio da Lei Rouanet.

“Por meio das salas musicalizadas, o manauara vai conhecer a si, no espelho da cidade, se olhar e conhecer a sua história, as suas raízes, na sua cara mestiça, cabocla, mameluca, misturada, vai poder ver as fotografias e os vídeos, de uma forma tecnológica com uma pedagogia que investe nas novas gerações”, disse o administrador do Museu, Leonardo Novelino.

Visitação

Para quem deseja visitar o Museu da Cidade de Manaus, as atividades são realizadas de terça-feira a domingo, das 9h às 17h, com entrada gratuita. Agendamento de escolas e grupos podem ser feitos pelo telefone (92) 3622-4991.

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas)

Fotos: Altemar Alcântara/Divulgação