Formação técnica dá cada vez mais acesso à empregabilidade em serviços

07/02/2019 15:23

MANAUS – Com a retomada do crescimento na geração de empregos, especialmente no setor de serviços, a capacitação por meio de cursos técnicos tem sido a ponte entre quem busca uma oportunidade de trabalho nessa onda de contratações e até mesmo entre quem já está no mercado e aspira por ascensão profissional em cargos que exigem maior qualificação.

Em pesquisa recente, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) revelou que o setor de serviços foi o que mais empregou no Brasil em 2018, e que no Amazonas houve um saldo positivo de 5.201 contratações na área, sendo grande parte delas em segmentos que exigem formação técnica específica.

Neste cenário, o interesse por esse tipo de formação tem aumentado no Estado, onde a maior demanda, tanto de jovens quanto adultos, é por cursos ligados às áreas de saúde, beleza, infraestrutura e habitação.

Eliana Pinheiro, diretora do Centro de Ensino Técnico, aponta entre as vantagens da formação intermediária a rapidez na capacitação profissional, o bom retorno financeiro, com salários de R$ 1,5 mil a R$ 3 mil; processos seletivos mais simplificados e uma ótima aceitação do mercado empregador por profissionais de nível técnico.

“Também podemos destacar as mensalidades mais acessíveis para quem busca esse tipo de qualificação e a formação prática, que coloca o profissional de nível técnico a frente dos demais numa seleção. Isso é o primeiro passo para uma carreira de sucesso”, ressalta a especialista.

Oportunidades

A enfermeira e professora do curso técnico de enfermagem do Centec, Jacqueline Chagas, reforça as colocações, argumentando que o ensino profissionalizante de médio prazo tem sido a ponta da lança para a entrada no mercado de trabalho. Principalmente no segmento de saúde, que se expande cada vez mais com o surgimento de novas clínicas, cooperativas, laboratório e hospitais.

“Um técnico pode atuar em vários setores da sua área, o que chama a atenção das empresas. No ramo da enfermagem, por exemplo, ele pode exercer suas funções em hospitais, clinicas, empresas do polo industrial, escolas e cooperativas. Todos esses setores precisam de um técnico nessa área”, ressalta.

A professora acrescenta que, no caso de seleção para enfermeiros, a maioria das empresas classifica candidatos que possuem, além da graduação de ensino superior, uma formação técnica na área. Sobre as oportunidades, a enfermeira afirma que a saúde é uma questão de segurança para o estado e que por isso a área está em constante crescimento, oferecendo inúmeras possibilidades de inclusão aos técnicos recém-formados.

Pensando nisso, o Centec acaba de implementar em seu quadro de cursos a especialização para técnicos em enfermagem em Segurança do Trabalho. A proposta da instituição é capacitar os técnicos em enfermagem para atuarem em equipes multiprofissionais na atenção primária da saúde dos colaboradores de empresas dos mais variados segmentos.

Construção civil

Já o engenheiro e professor do curso técnico em edificações do Centec, Pedro Liotto, fala que as portas para o profissional técnico nessa área também estão se abrindo bastante. Em 2018, segundo levantamento do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas, o mercado imobiliário local cresceu 16%, e para este ano a perspectiva é que esse percentual dobre, por isso as chances de que as empresas absorvam os profissionais técnicos, que exercem papel fundamental para o bom desempenho dos serviços, são enormes.

“Quando o mercado aquece e necessita de mão de obra qualificada, os chefes de canteiros pensam logo nos técnicos em edificações, que atuam de forma satisfatória na empresa. Nesse cenário, o profissional de nível técnico passa a ser um desenhista da realidade da empresa para os superiores, chegando a ocupar inclusive cargos de confiança”, afirma Liotto.

O engenheiro também destaca as possibilidades que a formação técnica em edificações oferece a quem quer iniciar a vida profissional não como empregado, mas como empreendedor. Além disso, diz que, atualmente, há muitas vagas de nível técnico em concursos públicos.

“O técnico em edificações também pode ser o dono da empresa, realizando serviços de pinturas, revestimentos, etc., tanto para particulares quanto instituição pública, por meio de licitação. As expectativas são muito grandes para esse ano no ramo de infraestrutura e habitação, então, esse é o momento para quem tem ou quer ter uma formação técnica”, Salienta.

Com informações: Repercussão Comunicação & Marketing

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas)

Foto: Freepik/Divulgação