Em Manaus, Educação Popular em Saúde é tema em capacitação de conselheiros

06/07/2017 06:28

“Educação Popular em Saúde e Mobilização Social” foi o tema de destaque no último dia da oficina de capacitação dos conselheiros locais de saúde das zonas Oeste e Rural, encerrada na quarta-feira, 5 de julho, no auditório da Escola Municipal Cândido Honório, no bairro Alvorada, zona Centro-Oeste.

A oficina, promovida por meio de parceria entre o Conselho Municipal de Saúde (CMS/MAO) e a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), teve início na segunda-feira, 3/7, e reuniu o grupo de conselheiros locais eleitos este ano para o mandato no período de 2017/2020 e que irão compor 15 Conselhos Locais de Saúde na zona Oeste e três na zona Rural de Manaus. Cada conselho representa uma Unidade Básica de Saúde.

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, explica que foram organizadas quatro oficinas de capacitação para atender um total de 577 conselheiros locais no município de Manaus. Ao todo, são 61 Conselhos Locais de Saúde que atuam junto a 61 UBSs nas zonas Sul, Norte, Leste, Oeste e Rural. “As oficinas foram organizadas buscando qualificar os conselheiros locais para fortalecer a atuação de cada um deles no exercício do controle social no Sistema Único da Saúde (SUS)”, informou Marcelo Magaldi, lembrando que a capacitação também fez parte da programação de aniversário de 26 anos do CMS/MAO, criado em 11 de junho de 1991.

Durante a programação de encerramento da oficina, representantes da Gerência da Educação na Saúde (Gesau/Semsa) destacaram a importância da Educação Popular em Saúde e da Mobilização Social no fortalecimento da participação popular e o controle social.

De acordo com a técnica da Gesau, fisioterapeuta Gabriela dos Santos, a Educação Popular apresenta ferramentas que podem ajudar os conselheiros a promover a participação social na área de atuação de cada conselho. “A abordagem do tema na capacitação buscou levar aos conselheiros ferramentas da Educação Popular em Saúde, como o círculo de cultura, as rodas de conversa e o corredor do cuidado, que podem ser utilizados nas reuniões que os conselheiros realizam nas comunidades”, destacou Gabriela Santos.

A oficina também abordou temas como Princípios Doutrinários e Caracterização do SUS, Controle Social em Saúde, o Papel do Conselheiro, Competências e Rotinas da Diretoria Executiva dos CLSs, Política Nacional de Humanização, Sistema de Regulação (Sisreg). Houve ainda a apresentação de experiências exitosas de Conselhos Locais de Saúde das UBSs Santa Luzia e Theodomiro Garrido (zona Sul).

Para o eletricista José Nazareno Cordeiro, que atua há cinco anos como conselheiro local de saúde da UBS Mansour Bulbol (Alvorada), a oficina ajudou a esclarecer dúvidas e a melhorar a integração entre os conselheiros que atuam na zona Oeste. “Eu aproveitei muito as informações do Tribunal de Contas da União (TCU) e também foi bom ter mais essa oportunidade de interagir com os outros conselheiros que atuam no território na zona Oeste de Manaus. É importante essa reunião para que, unidos e organizados, possamos fazer as reivindicações e trocar informações”, afirmou José Cordeiro.

Representação

Os Conselhos Locais de Saúde representam uma instância do CMS, permitindo o fortalecimento do controle social no SUS, tendo composição paritária com 50% de representantes eleitos entre os usuários do SUS, 25% escolhidos entre os trabalhadores e 25% indicados entre os gestores.

Com informações: Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa)

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas )

Foto: Divulgação/Semsa