Municípios do Amazonas sem representatividade política, diz Dr. Abel Alves

19/11/2017 07:51

Por Dr.Abel Alves *

Nós, interioranos, somos os únicos responsáveis por hoje termos uma baixíssima representação de filhos do lugar nos parlamentos estadual e federal. Nem sempre foi assim, no mandato de 1987/1990, na Assembleia Legislativa do Amazonas tínhamos a bancada interiorana, com metade dos deputados saídos eleitos de seus municípios, que discutia os seus problemas, ora pedindo providências, fiscalizando as administrações, etc. Faço questão de nomeá-los para que nossos munícipes façam uma reflexão: a começar por Tefé, o Prof. Luzivaldo e eu; Fonte Boa, Atila Lins; Codajás, Simão Barros; Manacapuru, Jamil Sefair; Parintins, Raimundo Reis, Enéas Gonçalves e Sebastião Reis; Maués, Humberto Michiles e Carlos Esteves; Humaitá, José Rui e ainda contávamos com o Alfredo Campos, falecido, que tinha base política no Careiro. Éramos uma bancada coesa e graças a isso conseguimos criar na Constituinte 28 novos municípios que o Gov. Gilberto Mestrinho, mediante uma ação perante o Supremo Tribunal decretou sua inconstitucionalidade, numa decisão política, a meu ver, equivocada.

Ora, se as condições atuais do nosso interior são precaríssimas e de abandono, uma das causas é não termos representantes comprometidos, pois como chamamos em Tefé, só temos deputados ‘copa do mundo, de 4 em 4 anos’, que usam de seus credos religiosos, assistencialismos, ‘bolsas de estudos’, etc. para conquistarem votos, sem qualquer vínculo pelo menos com a região.

Em Tefé, por exemplo, alguns deputados estaduais e federais foram bem votados, mas, nunca os vi ou li algum projeto em seu favor. Agora, como a eleição é ano que vem algumas ‘emendas’ serão destinadas aos municípios, numa clara intenção de comprometer os prefeitos a os apoiar. Verdadeira ‘compra’ legal de votos.

Conseguiremos virar esta página?

*Autor é advogado e ex-deputado estadual.

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas )

Foto: Arquivo/Dr. Abel Alves

Tags: