Alessandra Campêlo cobra promoção e valorização salarial dos policiais militares, civis e profissionais da educação

28/04/2015 15:54

11060025_10204523006327389_5551874126021371896_nEm pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas nesta terça-feira, 28 de abril, a deputada estadual Alessandra Campêlo (PCdoB) cobrou do Governo do Estado o cumprimento da Lei da Promoção e o aumento salarial para os policiais militares, policiais civis e profissionais da Educação.

“A nossa polícia já é mal remunerada e isso já é um castigo muito grande para os policiais e para as suas famílias, pessoas que expõem suas vidas todos os dias e o governador simplesmente anuncia que não haverá promoção dos praças”, disse Alessandra.

Ao lado dos professores, policiais militares e civis protestaram nesta terça-feira em frente à Arena Amadeu Teixeira contra o Governo. A manifestação tem como objetivo principal chamar a atenção do governador José Melo para que ele cumpra o Artigo 1º da Lei 4.044 de 9 de julho de 2014, que estabelece o dia 21 de abril como data-base para as promoções e o aumento salarial da  categoria, o que não aconteceu.

“Essa promoção está garantida em lei, ela é garantida pelo tempo de serviço, pelo bom trabalho, e eu vou encampar essa luta de vocês. Uma coisa é dizer que a arrecadação do Estado caiu, outra coisa é dizer que vai dar aumento zero, é dizer que não tem como dar aumento algum”, criticou a parlamentar do PCdoB.

Alessandra disse que o Governo não pode sacrificar os servidores públicos com o congelamento de salários. Ela entende a crise econômica pela qual passa o País, mas defendeu a retomada de negociações do Estado com os profissionais da Educação representados pelo Sinteam.

“Quero me solidarizar com os PMs, com os servidores da educação e da saúde e de todas as áreas do Estado. Estou entrando com uma ação hoje no Ministério Público Estadual para que faça seu papel e garanta a promoção dos PMs, porque isso é um direito garantido na lei”, encerrou a deputada.

SITUAÇÃO

De acordo com o presidente da Associação dos Policiais Militares do Amazonas (Apeam), Gerson Feitosa, atualmente, 2,2 mil praças (soldados, cabos e sargentos) aguardam pela promoção, entretanto, o Governo alega falta de dinheiro devido à queda da arrecadação. Além dos praças, o dirigente afirma que existem 130 oficiais aguardando para serem promovidos.

Com informações: Assessoria de Comunicação – Deputada Alessandra Campêlo

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas )

Foto: Jimmy Christian