Manaus recebe, pela primeira vez, audiência pública para debater sobre as melhorias na educação no Norte do País

09/07/2017 09:23

A primeira das cinco audiências públicas sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) aconteceu ao longo desta sexta-feira, no auditório da Reitoria da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). A capital amazonense recebeu os membros do Conselho Nacional de Educação (CNE), além dos secretários de educação do Estado e município, professor doutor Arone do Nascimento Bentes e Kátia Helena Schweickardt respectivamente, e do secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Rossiele Soares, para a elaboração do documento normativo que refletem as necessidades, interesses, diversidade e pluralidade da visão educacional no País e as metas que serão enfrentadas para a construção de uma educação de qualidade como direito de todos.

A audiência foi transmitida em tempo real para todo Estado, por meio do Centro de Mídias do Amazonas (Cemeam).  Manaus foi a primeira cidade da Região Norte a receber a Audiência Pública do Conselho Nacional de Educação  e o presidente do CNE, Eduardo Deschamps, fala da primeira etapa do documento que está sendo elaborado. “A ideia do Conselho Nacional de Educação neste momento é poder escutar as contribuições e a opiniões e sugestões de mudança que possam existir na comunidade, na sociedade da Região Norte e depois nas demais regiões”.

A BNCC é um documento de caráter normativo que define os direitos e objetivos de aprendizagem e desenvolvimento para todas as crianças, jovens, adultos em escolas públicas, privadas, urbanas e rurais de todo o Brasil.

De acordo com Deschamps, as mudanças no sistema e nas escolas serão por meio do currículo, através da “forma como serão trabalhas as disciplinas, as matérias e conteúdos dos estudantes nas escolas”. A partir daí será feita alteração na formação dos professores, no material de didático, no processo de avaliação, ou seja, um documento que estrutura muitas ações.

Segundo o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação e representante do MEC, Rossieli da Silva Soares, a terceira versão da audiência trará melhorias que irão favorecer a educação básica.  “É importante demais para o Brasil, é muito bom para o Norte do País e para o Amazonas, e isso interessa para a primeira audiência publica nesta fase da discussão”.

Para o secretário de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (SEDUC), professor doutor Arone Bentes, a importância da participação dos amazonenses no debate sobre o ensino no Brasil  é importante para o Estado. “O Amazonas acaba exercendo um protagonismo muito importante para esse documento. E o Governo do Estado, através da SEDUC, colaboram com esse debate, e que possa ter norteamento para educação”, finalizou.

Recife, Florianópolis, São Paulo e Brasília também vão receber a audiência pública até o mês de setembro e somente após os encontros é que será elaborado um material, com base no que foi coletado nas discussões com a sociedade, e enviado ao Ministério da Educação (MEC).

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas )

Fotos: Divulgação