PF cumpre mandado de busca e apreensão em academia de empresário investigado na operação ‘Cashback’

21/11/2018 14:01

Por Ive Rylo, G1 AM

MANAUS – Policias federais cumpriram mandado de busca e apreensão de equipamentos na academia que pertence a Murad Aziz, empresário investigado pela Operação Cashback. O estabelecimento fica na rua Barão do Amazonas, no parque das Laranjeiras, zona centro sul de Manaus. A ação ocorreu na manhã desta quarta-feira (21).

Todos os equipamentos da academia serão apreendidos e levados em três caminhões, na manhã desta quarta-feira (21) para a sede da polícia Federal. Equipes com 12 carregadores de uma empresa de transporte iniciaram a remoção às 8h30.

Murad Aziz, irmão do senador Omar Aziz, é acusado de cobrar pedágio de empresas envolvidas em desvios de recursos da Saúde do Amazonas, descobertos na Operação Cashback, da Polícia Federal. Ele chegou a ter prisão preventiva decretada, mas foi solto no dia 18 de outubro.

De acordo com investigações da PF, ha indícios de que o maquinário da academia foi adquirido com dinheiro desviado da saude.

Este é um desdobramento da operação cashback deflagrada no dia 11 de outubro. A operação investiga aproximadamente de 140 milhões da verba saúde supostamente desviados por empresários da capital.

Busca e apreensão

Todos os equipamentos serão retirados até o final do dia. A fachada de vidro da academia será removida para que os equipamentos sejam retirados dos três andares da academia.

Segundo alunos, que compareceram à academia na manhã desta quarta-feira, os equipamentos – até então – não possuíam nenhum lacre e estavam sendo utilizados normalmente. Apenas um aviso de que a academia não funcionaria neste dia foi publicada nas redes sociais, sem maiores detalhes.

Esta é a segunda vez que o estabelecimento é alvo de mandado de busca e apreensão pela PF. A primeira foi em outubro, logo após a operação ser deflagrada.

De acordo com informações repassadas pela PF, os equipamentos haviam sido apreendidos e etiquetados, mas deixados em poder do investigado. Entretanto as etiquetas foram arrancadas.

Por conta disso outra ordem judicial, atendendo o pedido da Polícia Federal, solicitou a remoção dos equipamentos, uma vez que o investigado desobedeceu a determinação judicial.

Com informações: G1 AM

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas)

Foto: Ive Rylo, G1 AM