Suicídio é tema de painel com especialistas

25/09/2018 23:05

Presente na história de toda a humanidade, o suicídio é um fenômeno multifatorial que afeta milhares de pessoas no mundo todo, com uma vítima a cada 40 segundos, mas que, ainda hoje, é considerado tabu em muitos meios da sociedade. Visando contribuir para mudar essa realidade, a coordenação do curso de Psicologia da Faculdade Santa Teresa realiza, dia 27, o painel ‘Vamos falar de suicídio?’

O evento é um convite ao debate sobre diversas questões trabalhadas na campanha nacional Setembro Amarelo, que trata da prevenção ao suicídio. Aberto a todos que se interessam pelo tema, o painel está agendado para as 20h, no miniauditório da instituição, tendo a participação da médica psiquiátrica Júlia Santoro, do professor doutor em Direito Rodrigo Bastos e da doutora em psicologia Raquel Almeida Castro, que irão abordar o problema sobre diferentes aspectos.

Entre os temas a serem debatidos pelos painelistas estão ‘saúde mental e suicídio’, ‘mitos sobre o comportamento suicida’, fatores de risco e proteção’, além de ‘prevenção e tratamento’. Quem quiser participar pode se inscrever, gratuitamente, pelo linkhttp://bit.ly/2Qn2rvM.

“Nossos painelistas são profissionais extremamente capacitados, com muita prática relacionada ao problema, o que vai proporcionar aos participantes se tornarem multiplicadores das informações que serão passadas”, comenta a coordenadora do evento, professora e psicóloga Cristiana Brandão.

Segundo ela, serão abordadas desde as patologias que podem levar ao suicídio, como depressão e transtorno de ansiedade, até aspectos históricos em meio às diferentes culturas sob a ótica do Direito, sobretudo em questões relacionadas aos tabus e preconceitos que levam muitas famílias a impedirem que o suicídio apareça no atestado de óbito como causa da morte. Também farão parte da abordagem dados sobre prevenção, escuta e cuidados com pessoas propensas ao problema.

“Precisamos trazer  suicídio à luz dos debates, pois quanto mais falarmos sobre o problema, suas manifestações e formas de prevenção, mais estaremos contribuindo para reduzir as estatísticas no Brasil e no mundo”, comenta Cristiana, ressaltando que, embora os dados atuais sejam alarmantes, talvez não reflitam verdadeiramente o tamanho do problema, visto que não são raros os casos em que os familiares não admitem o registro.

Outro destaque no painel será a participação do artista Tiago Oliveira, que fará uma performance sobre suicídio. “Além de professor de artes, ele é um pesquisador do tema, por isso sua visão será um diferencial no evento”, comenta a professora.

Suicídio em números

O suicídio está entre as principais causas de mortes entre jovens de 15 a 29 anos, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), mas os números entre crianças e idosos também impressionam. Dados apontam que ocorre uma tentativa a cada três segundos e um suicídio a cada 40 segundos.

Entre 2000 e 2015, houve aumento de 65% na taxa de suicídios para a faixa etária dos 10 aos 14 anos, e de 45% entre 15 e 19 anos.

Informações divulgadas pelo Ministério da Saúde, em 2017, mostram que o Brasil acompanha as taxas mundiais no que se refere ao suicídio entre jovens, especialmente indígenas, mas, no país, também é preocupante a taxa entre idosos com mais de 70 anos. Nos últimos seis anos, vem ocorrendo uma média de 8,9 mortes por 100 mil habitantes nessa faixa etária, sendo que mais de 90% dos suicídios são evitáveis.

Conforme o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do MS, o Amazonas tem dois municípios entre os dez com maior número de suicídios no país. São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros de Manaus) lidera o ranking, com taxa de 52,2; já São Paulo de Olivença (a 985 quilômetros da capital) aparece em terceiro lugar, com taxa de 36,7.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, 11,8 mil pessoas se matam no Brasil por ano. Até 2020, espera-se reduzir esse índice pelo menos 10%.

Com informações: Repercussão Comunicação & Marketing

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas

Foto: Divulgação