TRF1 decide pela reabertura do Porto Hidroviário de Novo Airão, no AM

10/02/2018 12:09

O Tribunal Regional Federal  (TRF1), através da decisão do desembargador federal Hilton Queiroz derrubou uma ordem judicial que suspendia o funcionamento do Terminal Hidroviário de Novo Airão(AM), avaliado em R$ 15 milhões.

Na nova decisão da Justiça Federal do último dia 31 de janeiro de 2018, determinou imediata reabertura do Terminal Hidroviário de Novo Airão integrante do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). De acordo com o projeto da obra, o porto possui na sua estrutura civil terminal de passageiros, estacionamento, guarita, duas lanchonetes, pátio de manobras e estacionamento, alem de área frontal urbanizada com praça, coreto e seis boxes. Na parte naval o terminal hidroviário possui cais flutuante, flutuante intermediário e pontes de acesso, sendo fixa com 37 metros e duas pontes móveis com 45 metros de vão cada, totalizando 127 metros de comprimento.

Veja a decisão na íntegra do desembargador Hilton Queiroz do TRF1, acesse aqui: DECISÃO 

 

 

NOSSA OPINIÃO 

Na última quinta-feira (8), alguns políticos de Novo Airão e um determinado deputado federal com mandato usaram as redes sociais (Facebook ) na busca desesperadora da autopromoção pessoal e política em cima da decisão do desembargador federal Hilton Queiroz do TRF1 sobre a reabertura do Terminal Hidroviário de Novo Airão.

É de praxe político mau-caráter usar decisões judiciais para ser o “pai da criança” junto a uma população que não tem acesso a informação verdadeira dos fatos, a qual se torna presa fácil dos politiqueiros. No Amazonas isso já faz parte da cultura da desonestidade entre os políticos  com ou sem mandato.

O político mau-caráter é o oposto do político que tem caráter (um bom caráter), ou seja, um comportamento honesto, correto, firme, e que se baseia em outras qualidades que seguem uma moralidade junto a uma sociedade.

A sociedade do estado do Amazonas precisa ser informada, que nenhum momento o desembargador Hilton Queiroz acatou influência política de quem quer que seja para chegar à decisão do RECURSO ESPECIAL EM TUTELA CAUTELAR ANTECEDENTE N. 0052309-37.2017.4.01.0000/AM, que culminou com a reabertura do Porto de Novo Airão, o qual estava há 1 ano com suas atividades suspensas.

 

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas)

Foto:Divulgação