Bruna Bento lança “Once Upon a Time” single autoral inspirado no movimento Black Lives Matter

27 de agosto de 2021 08:15

Por Ana Lopes/AL9 Comunicação

A canção inspirada no movimento Black Lives Matter  foi escrita por Bruna, que traz em suas letras autorais reflexões sobre as dores causadas pela opressão, preconceito, e a discriminação racial que mata inocentes.

Sua interpretação é carregada de sentimentos e de desabafos, um  grito para exigir mudanças e transformação, um alerta ao sistema que mantém negros e brancos separados e desiguais.

“Então, entenda menina, isso não é um Once Upon A Time / eles querem nossas cabeças e anseiam por mais / Eles arrancam a nossa pele para então nos recriar / como bonecos de pano para nos comandar”. Diz um trecho da canção da cantora de 18 anos, que desenvolveu seu talento musical na igreja.

A canção lançada em áudio, nas plataformas digitais e em vídeo, no canal de vídeos de Bruna tem a produção musical de Fábio Quintão, a direção de vídeo de Angelo Luiz e a edição de Hélio de Araújo.

“Para mim, como parte da população afrodescendente, a visibilidade é de suma importância, pois não adianta ter voz e não ter quem a ouça. Quanto à representatividade, temos sim que assumir, aceitar e principalmente entender quem somos” declara Bruna Bento.

Ouça Bruna Bento nas plataformas digitais

https://fluve.lnk.to/OnceUponaTime

Assista ao clipe no canal de vídeos

https://youtu.be/n4JbbvT6B6o

Siga a cantora nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/brunabent

Instagram:  https://www.instagram.com/brunabentoo

Black Lives Matter ou “Vidas Negras Importam”

É um movimento ativista internacional, com origem na comunidade afro-americanas, que faz campanha contra a violência direcionada às pessoas negras, organizando protestos em torno da morte de negros causada por policiais, e questões mais amplas de discriminação racial, brutalidade policial, e a desigualdade racial no sistema de justiça criminal. O movimento que surgiu nos Estados Unidos se espalhou pelo mundo e ganhou força em 2020, e em janeiro de 2021, o BLM foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz.

No Brasil, assim como no mundo, a movimento ganhou voz e visibilidade, foi criado aqui o manifesto “Vidas negras importam: nós queremos respirar” que é um movimento nacional proposto por diversas personalidades do meio jurídico, político, empresarial, artístico, do esporte e da comunicação, que se mobilizam para debater a diversidade racial e ajudar a implementar políticas públicas e privadas contra o racismo.

O “Movimento AR”, como é chamado faz uma alusão ao caso do norte-americano George Floyd, homem negro que foi morto por asfixia com o joelho por um policial branco em Minneápolis, nos EUA.

A campanha também faz alusão à morte do adolescente João Pedro, de 14 anos, assassinado durante uma ação policial dentro de casa, em São Gonçalo, região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Somos uma sociedade racista estruturalmente e indiferente a um problema que deveria ser de todos. Desnaturalizar o racismo é urgente e é necessário dar voz ao movimento seja através das artes, da educação, da política ou das manifestações.

Portal Gazeta do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta do Amazonas )

Fotos: Divulgação