DECISÃO: Alunos de cursos de medicina, farmácia, odontologia e veterinária que não prestaram serviço militar obrigatório devem se apresentar após a conclusão do curso

26 de novembro de 2021 01:03

Por Portal Gazeta do Amazonas

Centro de Instrução de Guerra na Selva -CIGS.

MANAUS – A 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) decidiu que os estudantes que concluíram curso na área de Medicina, Farmácia, Odontologia e Veterinária e não prestaram o serviço militar obrigatório, devem se apresentar após a conclusão do curso, do Programa de Residência Médica ou da Pós-graduação, para o cumprimento da obrigação.

A decisão foi proferida no julgamento da apelação de um aluno contra a sentença que havia julgado improcedente o pedido de declaração de nulidade do ato de convocação para prestar serviço militar obrigatório após a conclusão do curso superior.

A relatora do processo, desembargadora federal Maria Maura Martins Moraes Tayer, observou que com a modificação promovida pela Lei 12.336, de 2010, passou-se a permitir a convocação também daqueles estudantes que anteriormente haviam sido dispensados de incorporação.

A magistrada destacou que o Superior Tribunal de Justiçam (STJ), em sede de recurso repetitivo, decidiu que a lei nova deve ter imediata aplicação a partir de sua publicação, e se aplica aos profissionais que concluíram o curso após essa data (26/10/2010), ainda que o ato de dispensa tenha sido praticado antes disso.

Dessa forma, ressaltou a desembargadora federal, a convocação pode ser realizada, mesmo nos casos em que o ato de dispensa tenha sido praticado antes da vigência da Lei 12.336/2010, bastando que o curso tenha sido concluído após sua publicação.

No caso dos autos, concluiu a relatora, a dispensa do apelante da prestação do serviço militar ocorreu em decorrência de excesso de contingente, tendo o curso superior sido concluído após a publicação da Lei 12.336/2010, razão pela qual deve ser negado provimento ao recurso.

Processo 0003643-45.2012.4.01.3600

Data do julgamento: 18/11/2021

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Tribunal Regional Federal da 1ª Região

Portal Gazeta do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta do Amazonas )

Foto: Divulgação