Itaú Unibanco anuncia a doação de R$ 1 bilhão para combate ao coronavírus no Brasil

14/04/2020 09:56

Por: Equipe de Comunicação do Itaú Unibanco 

 

SÃO PAULO – O Itaú Unibanco anuncia na segunda-feira (13/4) a criação da iniciativa Todos pela Saúde, que tem como objetivo o combate ao coronavírus e seus efeitos sobre a sociedade brasileira. O banco direcionará R$ 1 bilhão para financiar as atividades da Todos pela Saúde.

“Desde o início da pandemia, mobilizamos pessoas e recursos na luta contra a covid-19 e seus efeitos sociais e econômicos. Esta nova iniciativa dá a dimensão do quanto estamos preocupados e engajados na solução da crise”, afirma o presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher.

Os recursos aportados serão administrados por um grupo de especialistas liderado pelo médico Paulo Chapchap, doutor em clínica cirúrgica pela Universidade de São Paulo e diretor-geral do Hospital Sírio Libanês. Esta equipe definirá as ações a serem financiadas, de forma que as decisões estratégicas sejam respaldadas por premissas técnicas e científicas.

“Com esta iniciativa, temos a intenção de fazer algo estruturante, que tenha impacto positivo sobre toda a sociedade brasileira. O grupo de especialistas escolhidos para esta missão vai identificar as principais necessidades do País e priorizá-las”, afirma Paulo Chapchap.

A atuação da Todos pela Saúde se dará por meio de quatro eixos:

o Informar

– Campanha de incentivo ao uso de máscaras pela população;
– Orientação da população para higiene das mãos e etiqueta da tosse;
– Valorização das iniciativas de solidariedade da sociedade civil.

o Proteger

– Disponibilização de equipamentos de proteção individual e testagem para profissionais de saúde;
– Testagem populacional para orientar ações de saúde pública.

o Cuidar

– Apoio aos gestores públicos estaduais e de grandes municípios na estruturação de gabinetes de crise;
– Capacitação e apoio aos profissionais de saúde em melhores práticas, protocolos e terapêuticas;
– Uso de telemedicina para monitoramento de casos e apoio aos profissionais de saúde;
– Ampliação da capacidade e eficiência em estruturas hospitalares referenciadas;
– Compra e distribuição de insumos estratégicos, além da mobilização de equipamentos e recursos humanos.

o Retomar

– Colaboração para o desenvolvimento de estratégias, visando a: retorno mais seguro às atividades sociais; e programas de monitoramento da população com risco elevado.

Além de Paulo Chapchap, integram o grupo o médico, cientista e escritor Drauzio Varella, o ex-presidente da Anvisa Gonzalo Vecina Neto, o ex-diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde (ANS) Maurício Ceschin, o consultor do Conselho dos Secretários de Saúde (CONASS) Eugênio Vilaça Mendes, o presidente do Hospital Albert Einstein, Sidney Klajner, e o presidente do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), instituição ligada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Pedro Barbosa.

Esforço ampliado

Esta nova iniciativa se soma a outras já anunciadas pelo Itaú Unibanco nas últimas semanas com o objetivo de combater o coronavírus. O investimento total, até então, era de cerca de R$ 250 milhões. Parte desses recursos (R$ 150 milhões) está sendo aplicada por meio da Fundação Itaú para a Educação e Cultura e do Instituto Unibanco.

Os investimentos têm sido direcionados a diferentes projetos de melhoria da infraestrutura hospitalar do País, além da produção e aquisição de testes, máscaras de proteção, equipamentos de saúde e kits de higiene e de alimentos.

Entre os projetos que já receberam aportes estão o Hospital Fiocruz no Rio de Janeiro, o Hospital Municipal Moyses Deutsch, no bairro do M’Boi Mirim em São Paulo, e o Fundo Emergencial Saúde SP, para equipar os hospitais de campanha no Pacaembu e no Anhembi. Também foram adquiridos 190 respiradores, 800 mil máscaras, mais de 7 mil quilos de álcool em gel e cestas com itens de alimentação e higiene para mais de 80 mil famílias.

“Sempre tivemos consciência da nossa responsabilidade social. Não é diferente agora”, conclui Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco.

Perfis dos integrantes da iniciativa

PAULO CHAPCHAP, Diretor-geral do Hospital Sírio Libanês

Atualmente diretor-geral do Hospital Sírio Libanês, cargo que ocupa há quatro anos, atua na instituição desde 1998, onde também foi presidente do Conselho de Ensino e Pesquisa, coordenador do Grupo de Transplante de Fígado e Superintendente de Estratégia Corporativa.

Foi conselheiro da ILTS – International Liver Transplantation Society entre os anos de 2004 e 2007.

É médico formado pela Faculdade de Medicina da USP – Universidade de São Paulo e doutor em Clínica Cirúrgica, também pela Faculdade de Medicina da USP.

Foi professor do departamento de Transplante de Fígado da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, entre 1986 e 1987. Além disso, de 2007 a 2011, integrou o Conselho da Sociedade Internacional de Transplante Hepático.

MAURICIO CESCHIN, Ex-Diretor-Presidente da Agência Nacional de Saúde – ANS

Diretor-presidente da ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar entre 2009 e 2012, também atuou como Diretor de Desenvolvimento Setorial no órgão, respondendo pela regulação dos planos de saúde do País.

No período de 2005 a 2007, foi diretor superintendente do Hospital Sírio Libanês e acumulou a Vice-Presidência da ANAHP – Associação Nacional dos Hospitais Privados. Foi presidente do Grupo Qualicorp.

Ocupou diversos cargos e presidiu a Medial Saúde, onde esteve por 14 anos. É médico gastroenterologista, com especialização em Administração em Sistemas de Saúde, Marketing e Finanças pela Fundação Getúlio Vargas.

EUGÊNIO VILAÇA MENDES, Consultor do Conselho dos Secretários de Saúde – CONASS.

Autor do livro “O Cuidado das condições crônicas na Atenção Primária à Saúde: o imperativo da consolidação da Estratégia da Saúde da Família”, que contextualiza a crise do Sistema Único de Saúde – SUS e investiga a questão da atenção primária à saúde no SUS, Eugênio Vilaça Mendes é especialista em planejamento de saúde pela Escola Nacional de Saúde Pública e realizou trabalhos de consultoria em saúde em 20 países, em mais de 250 municípios brasileiros e em agências internacionais, como o Banco Interamericano de Desenvolvimento, o Banco Mundial e as Cooperações Britânica, Canadense e Italiana.
Foi secretário-adjunto da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais e professor de Saúde Pública da Universidade Federal de Minas Gerais e da PUC-MG. Atualmente, é consultor do Conselho dos Secretários de Saúde – CONASS.

GONZALO VECINA NETO, Fundador da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Fundador e presidente da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, de 1999 a 2003, Vecina Neto é ex-secretário municipal de Saúde de São Paulo e uma das figuras mais importantes quando se trata de pensar o Sistema Único de Saúde. É um entusiasta do sistema.

Atualmente é professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo e consultor em saúde pública. Vecina também é médico sanitarista e mestre em Administração de Empresas pela Faculdade Getúlio Vargas (SP).

ANTÔNIO DRAUZIO VARELLA, Médico oncologista, cientista e escritor.

Um dos principais influenciadores na área de medicina no Brasil, ganhou a simpatia do grande público após apresentar séries sobre o corpo humano e medicina, exibidas no programa Fantástico, da Rede Globo.
Médico cancerologista formado pela USP, durante 20 anos, dirigiu o serviço de Imunologia do Hospital do Câncer (SP) e, de 1990 a 1992, o serviço de Câncer no Hospital do Ipiranga, na época pertencente ao Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social – Inamps.

Em 1989, iniciou um trabalho de pesquisa sobre a prevalência do vírus HIV na população carcerária da Casa de Detenção do Carandiru. Até a desativação do presídio, em 2002, trabalhou como médico voluntário. Atualmente, faz o mesmo trabalho na Penitenciária Feminina de São Paulo. É autor do best seller “Estação Carandiru”, que deu origem ao filme dirigido por Hector Babenco.

SIDNEY KLAJNER, Presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein

O atual presidente do Hospital Albert Einstein é cirurgião do aparelho digestivo e coloproctologia graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Trabalha no Einstein há 27 anos, onde assumiu a vice-presidência em 2010 e a presidência em 2016.

Autor de onze trabalhos em cirurgia digestiva publicados em revistas internacionais e coautor de cinco livros, sendo os dois últimos em cirurgia de hemorroida.

É membro de diversas sociedades médicas, entre elas, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica e a Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

PEDRO RIBEIRO BARBOSA, Diretor-presidente do Instituto de Biologia Molecular do Paraná, ligado à Fiocruz

Professor e Pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) dedicado à Gestão e Planejamento em Saúde e Gestão da Inovação em Saúde, Ciência e Tecnologia. Coordenador do Curso de Especialização em Gestão Hospitalar.

Ocupou vários cargos executivos na Fundação: foi vice-diretor de Desenvolvimento Institucional e Gestão da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP), diretor-executivo da Fundação de Apoio à Fiocruz (Fiotec) e, nos últimos 8 anos, vice-presidente de Gestão e Desenvolvimento Institucional da Fiocruz. É também diretor-presidente do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP).

 

Portal Gazeta Do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta Do Amazonas )

Fotos: Divulgação/Itaú Unibanco