Laboratório Contraprova: 13 anos de excelência

13 de maio de 2022 17:45

Por Portal Gazeta do Amazonas

São 13 anos de atividades, primando pela excelência no atendimento, tecnologia de última geração e uma expansão que atesta o padrão de referência.  Assim é a trajetória do Laboratório Contraprova. Fundada em 2009, a empresa é especializada no fornecimento de análises laboratoriais nas áreas de Toxicologia, Biologia Molecular, Hematologia, Bioquímica e Imunologia, atendendo aos mais elevados requisitos de qualidade. Fruto do sonho e da experiência como peritos oficiais e farmacêuticos Fábio Martinez Alonso e Bruno Duarte, o Contraprova, em 13 anos de expertise, reuniu um time científico composto por mestres e doutores  e tecnologia de ponta, garantindo excelência na prestação de serviços.

Instalada em uma edificação de mais de  3000 m2, no bairro do Fonseca, em Niterói, no Rio de Janeiro, a empresa conta com uma equipe de aproximadamente 180 colaboradores e mais de 3500 postos de coleta credenciados, distribuídos em todas as regiões do país. A capacidade ampliada e o crescimento estrutural e técnico da empresa coincidiram com a chegada da pandemia. Com isso a empresa tornou-se referência no controle epidemiológico da COVID-19, com mais de um milhão de testes realizados em 2021 e em pesquisas científicas.

“O Contraprova, em sua história, sempre teve a característica de aprender a inovar em situações adversas. Isso aconteceu quando fomos o primeiro laboratório brasileiro a desenvolver a técnica de análise de drogas em cabelos e pêlos e também durante a pandemia da COVID-19.  Isso mostra nossa capacidade de conduzir e realizar projetos que culminam com 13 anos de um legado consolidado em análises laboratoriais”, afirma Fábio Alonso, CEO do Contraprova, já anunciando uma novidade para o segundo semestre: o lançamento de grande projeto que vai unir tecnologia e saúde. “Teremos um grande portal de serviços de saúde na palma da mão dos nossos clientes”, revela Fábio.

O Diretor Técnico da empresa, Bruno Duarte, fala sobre a consolidação e expansão da empresa nesses 13 anos. “O Contraprova nasceu de um sonho de podermos oferecer o serviço de análises toxicológicas de drogas de abuso de qualidade para atendimento a pessoas físicas e empresas. Após a exigência legal das análises toxicológicas de drogas de abuso em cabelos/pelos para fins de renovação de carteira de motorista e para admissão e demissão de motoristas profissionais, a empresa se consolidou como um dos principais laboratórios nesse ramo, atingindo maturidade analítica e de atendimento ao cliente. Com o tempo, sentimos a necessidade de expandir nosso portfólio de análises para outras áreas e começamos a atuar, fortemente, no ramo das análises clínicas e de saúde ocupacional”, relata Bruno.

E qual o diferencial do Contraprova?  “Temos a excelência como norte. Desde a nossa criação trabalhamos para atender às mais exigentes normas de acreditação, como a ISO 17025 do INMETRO”, diz Fábio Alonso. A análise é complementada por Bruno Duarte, que ressalta a qualidade comprovada das análises laboratoriais. “Com a obtenção da primeira acreditação INMETRO, em 2013, o Contraprova manteve seu padrão de qualidade e aumentou o escopo de análises acreditadas. Hoje é referência em qualidade laboratorial, gerando confiança e respaldo técnico para os seus clientes”, explica.

Humberto Vieira, Diretor Administrativo do Contraprova, ressalta que a pandemia foi um período muito complicado para todas as empresas. “Mas aprendemos muito com ela. A maior lição é que devemos ser capazes de nos adaptar rapidamente quando surge um cenário totalmente novo e desafiador. Nesse e em todos os cenários, o diferencial do Contraprova é a qualidade na prestação de serviços. E isto só é possível graças ao nosso excelente time de colaboradores. Nosso objetivo é continuar oferecendo um serviço de qualidade para nos consolidar cada vez mais como uma referência na área”, afirma.

A cultura de testar

Dentre os diversos serviços disponíveis, a demanda para os testes de detecção para covid-19 segue em alta, para empresas, pessoas físicas, órgãos públicos, em eventos, como recentemente o LFA 126,  que aconteceu no Rio,  em que o Contraprova realizou a testagem dos participantes. “A pandemia retrocede, mas, durante muito tempo continuarão sendo feitos  testes, para eventos, atividades artísticas, em empresas, para concursos…. E surgem as variantes, como a Ômega, além de vírus como o Influenza, que seguem circulando”, explica Fábio Alonso.

De acordo com o CEO do Contraprova, a covid-19 jogou luz para a importância do diagnóstico molecular para essas doenças respiratórias que as pessoas sempre tiveram. Só que antes da pandemia não havia a cultura de testar. “No pediatra, o diagnóstico é clínico.  Geralmente virose. Mas que tipo de virose? O que se está enfrentando? Técnicas mais modernas, como PCR, permitem que se descubra qual o patógeno está acometendo aquela pessoa. Se é influenza, coronavírus, vírus sincicial… No caso da covid, em algum momento alguma variante vai escapar da cobertura vacinal… Então vamos precisar continuar testando. Esse legado vai ficar”.

Com informações da Thamiris Vieira

Portal Gazeta do Amazonas (Reprodução autorizada mediante citação do Portal Gazeta do Amazonas )

Foto: Divulgação